segunda-feira, 13 de abril de 2009

Paulo Setúbal



Oficina permanente de poesia –
A Poesia de Paulo Setúbal
Palestrante: Graziela de Lamartine
Local: Biblioteca Pública do Paraná – 3 andar


Paulo Setúbal (P. S. de Oliveira), advogado, jornalista, ensaísta, poeta e romancista, nasceu em 01 de janeiro de 1893, na cidade de Tatuí/SP Em 1920 ocorreu a publicação de seu livro de poesia Alma Cabloca, cuja edição, de três mil exemplares, esgotou-se em um mês. Entre 1925 e 1935 publicou vários romances históricos, entre eles A Marquesa de Santos, O Príncipe de Nassau e A Bandeira de Fernão Dias. Em 1926, trabalhou como colaborador do jornal O Estado de S. Paulo. Nos anos de 1928 e 1930 foi deputado estadual, mas renunciou ao mandato por ter agravada sua tuberculose.

Publicou, nos anos seguintes, livros de contos, crônicas e memórias. Em 1935 foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras. Poeta vinculado à estética parnasiana, Paulo Setúbal tematizou em seus versos a vida dos camponeses, dos "caboclos" do interior de São Paulo. Pela escolha do tema, na época foi chamado de "poeta regional".

Foi também famoso e respeitado autor de obras de temática histórica, dentre as quais se destacam o romance A Marquesa de Santos (1925) e o livro de crônicas O Ouro de Cuiabá (1933). Faleceu em 04 de maio de 1937.

Só tu

Dos lábios que me beijaram,
Dos braços que me abraçaram
Já não me lembro, nem sei...
São tantas as que me amaram!
São tantas as que eu amei!

Mas tu - que rude contraste!
Tu, que jamais me beijaste,
Tu, que jamais abracei,
Só tu, nestalma, ficaste,
De todas as que eu amei.

(ALMA CABOCLA)

Fonte: Itaú Cultural - www.itaucultural.org.br

Um comentário:

ingrid disse...

Nossa muito lindo . Um amigo me declamou ele e eu viim conhecer sobre o autor . muito bom mesmo !